sábado, 29 de janeiro de 2011

Qual a diferença entre Crescimento Econômico e Desenvolvimento Econômico

Podemos definir crescimento econômico como o aumento da capacidade produtiva da economia (produção de bens e serviços). É definido basicamente pelo índice de crescimento anual do Produto Nacional Bruto (PNB), per capita. O crescimento de uma economia é indicado também pelo crescimento da força de trabalho, pela receita nacional poupada e investida e pelo grau de aperfeiçoamento tecnológico.

Já o desenvolvimento econômico, podemos conceituá-lo como sendo o crescimento econômico (aumento do PNB per capita), acompanhado pela melhoria da qualidade de vida da população e por alterações profundas na estrutura econômica.

Como se pode ver, o conceito de desenvolvimento é mais qualitativo, pois inclui as alterações da composição do produto e a alocação dos recursos pelos diferentes setores da economia, de forma a melhorar os indicadores de bem-estar econômico e social (pobreza, desemprego, violência, condições de saúde, alimentação, transporte, educação, higiene e moradia). Em suma, podemos afirmar que desenvolvimento econômico é algo que combina crescimento com distribuição de renda.

O Desenvolvimento de cada país depende de suas características próprias, tais como: situação geográfica, extensão territorial, passado histórico, cultura, população e riquezas naturais. A Organização das Nações Unidas (ONU) usa os seguintes indicadores para classificar os países, segundo o grau de desenvolvimento: índice de mortalidade infantil esperança de vida média, nível de industrialização, grau de dependência externa, potencial científico e tecnológico, grau de alfabetização, instrução e condições sanitárias.

De maneira geral, as mudanças que caracterizam o desenvolvimento econômico de uma cidade, região ou país, consistem no aumento da atividade industrial em comparação com a atividade agrícola, migração de mão-de-obra do campo para a cidade, redução das importações de produtos industrializados e das exportações de produtos primários e menor dependência de auxílio externo.

Para caracterizarmos um processo de desenvolvimento é fundamental observarmos ao longo do tempo a existência de: 1º crescimento do bem-estar econômico medita por indicadores, como, por exemplo: Produto Nacional Total e Produto, per capita; 2º diminuição nos níveis de pobreza, desemprego e desigualdades; 3º elevação das condições de saúde, nutrição, educação, moradia, etc.

Como citamos anteriormente, ser possível uma cidade, região ou país crescer sem se desenvolver economicamente, gostaria de citar como exemplo a cidade de Mossoró, que nos últimos anos apresentou um aumento significativo do fluxo comercial advindo do setor salineiro e do parque industrial impulsionada pela Petrobras, aumento razoável no nível de exportação de seus produtos primários, na cacinicultura, na verticalização do mercado imobiliário e no setor terciário (notadamente o comércio e a prestação se serviços), cujos recursos advindos deste crescimento não causaram modificações estruturais que pudessem induzir incremento complementar em outros setores ou segmentos da economia local e não implicaram em modificações institucionais que melhorasse a qualidade de vida da nossa população.

Sem dúvida, a economia de Mossoró tem apresentado um considerável índice de crescimento econômico, não impedindo que a cidade apresente um índice de desemprego galopante, já sendo visível o grande número de famílias que vivem abaixo da linha internacional de pobreza, apesar de ser expressivo o aumento de estabelecimentos comerciais no município. Falar em desenvolvimento econômico a nível de Mossoró é um grande equívoco ou desconhecimento total da nossa realidade, cujos índices de desemprego, violência, prostituição infantil e desigualdades sociais crescem em progressão geométrica.

O aspecto fundamental é que desenvolvimento econômico não pode ser analisado, somente, por meio de indicadores como crescimento do produto real ou crescimento do produto real per capita. Desenvolvimento econômico deve ser complementado por indicadores que representem, ainda que de forma incompleta, a melhoria da qualidade de vida dos indivíduos, bem como a elevação das condições de saúde, nutrição, higiene, moradia, dentre outras variáveis sociais.

7 comentários:

  1. Parabéns, ótimo texto!

    ResponderExcluir
  2. parabens ...esta super bm explicito para os estudantes e n so...legal

    ResponderExcluir
  3. Eu como Economista Adorei o Texto. Continue sempre assim.
    Pedro Ponda

    ResponderExcluir
  4. ta otimo, faltou mais exemplos de países. fora isso ta otimo.

    ResponderExcluir
  5. eder dos santos estudante de direito, gostei da pagina

    ResponderExcluir

Comentários dos visitantes e seguidores do blog